HS Manutenção

28ago/16

Se livrando dos Programa Potencialmente Indesejado (PPI/PUP/LPI) na HORA da instalação de um programa

Hoje em dia, com o advento do software gratuito, muitas das empresas optam por oferecer bons produtos, mas em alguns casos como forma de arrecadar fundos (dinheiro) aderiu a uma rede de PUPs/LPIs (mais detalhes sobre os PPI/PUP/LPI). A questão é que estes editores geralmente têm políticas bastante agressivas, chegando a ser as vezes enganadora para instalar esses programas, o usuário é enganado e instalar esses programas sem saber o que em troca, eles quer ganhar popups de publicidade ou toolbar (barra de ferramentas ou de comparação de compras), que muitas vezes deixam computador "parecendo uma carroça".

Barras de ferramentas navegadores - toolbar

Barras de ferramentas navegadores - toolbar

29dez/13

Programa Potencialmente Indesejado, o que são PPI/PUP/LPI

A Programa Potencialmente Indesejado (PPI), ou do inglês PUP (potentially unwanted program), ou ainda do francês LPI (logiciels potentiellement indésirables),  estes  programas que podem ser indesejados, mas ainda são baixadas e instalados pelo usuário em conjunto com um programa que o usuário (você) quer. Os PPI incluem spyware, adware, dialers e toolbar muitas vezes são empurrado como ‘extras’ nos programas.

troia


14nov/13

Novo vírus clona sites bancários para roubar informações de usuários

Golpes virtuais envolvendo instituições financeiras não são raros. Esta semana mais um caso foi descoberto pelo Laboratório de Pesquisa da ESET América Latina, o novo vírus conhecido como ProxyCharger está sendo utilizado para roubar dados bancários de internautas brasileiros. Através de um código malicioso escondido em um arquivo infectado, a ameaça se instala no computador, alterando as configurações de proxy para direcionar o usuário a versões falsas de sites de bancos. A ameaça é do tipo phishing, que envia e-mails com anexos infectados para aumentar o golpe e enganar mais pessoas.

malware-pc

 

6nov/13

Cibercriminosos usam arquivos do Word para espalhar vírus

O cibercrime brasileiro está evoluindo e criando formas de ataques mais refinadas e complexos. Uma das novidades foi encontrada pela Kaspersky descobriu um novo ataque incomum, que utiliza arquivos do Office para infectar as máquinas.

malwares


16out/13

Como remover vírus de pendrive que converte arquivos e pastas em atalhos ou somem com eles

Uma nova praga vem perturbando a vida de muitos usuários. Trata-se de um vírus que infecta o pendrive e converte documentos e programas em meros atalhos ou simplesmente simplesmente eles somem com seus arquivos. Tal atividade impede que o utilizador abra qualquer coisa e muitas vezes leva a uma atitude desesperadora: a formatação da unidade removível.

virus_vbs_02

A solução do problema não é tão complicada e pode poupar algumas dores de cabeça. Primeiramente, vale salientar que o vírus não apaga nenhum arquivo do pendrive. Esta praga apenas oculta documentos e cria atalhos falsos, por isso, mantenha a calma.

5out/13

Soluçao para minimizar vírus no pendrive

Com a massificação do pendrive e a utilização em muitos computadores trouxe de volta os famigerados vírus de dispositivo armazenamento portáteis. Uma nova praga vem perturbando a vida de muitos usuários, especialmente alguns estudantes de universidades/faculdades particulares em Natal/RN, leia-se UNP. Trata-se de um vírus que infecta o pendrive e converte documentos e programas em meros atalhos ou simplesmente eles somem. Tal atividade impede que o utilizador abra qualquer coisa e muitas vezes levam a uma atitude desesperadora: a formatação da unidade removível.

malwares

Para minimizar, ou até mesmo acabar, com a incidência deste problema com vírus siga os passos abaixo.

5maio/13

Porque pagar por uma Antivirus?

Os Antivírus são programas de computador concebidos para prevenir, detectar e eliminar vírus de computador e outras pragas de computadores, hoje existe uma grande variedade de produtos com esse intuito no mercado, a diferença entre eles está nos métodos de detecção, no preço e nas funcionalidades.

malwares

Para o usuário doméstico existe a opção de utilizar um antivírus gratuito ou um pago, para empresas recomendo não utilizar gratuito  A diferença está nas camadas a mais de proteção que a versão paga oferece, além do suporte técnico realizado pela equipe especializada.


9set/12

Novo vírus ataca clientes do Itau e usa certificado verdadeiro

Um novo ataque contra usuários de online banking ameaça correntistas do Itau, um dos maiores bancos brasileiros. De acordo com a empresa de segurança Eset, os cibercriminosos desenvolveram um código malicioso – identificado como um Trojan Win32/Spy.Banker.YJS - que se instala na máquina do usuário e é executado assim que o computador acessa o internet banking.

Captura de tela do site Itau em um computador infectado

8set/12

Criminosos virtuais aplicam golpes com mais facilidade no Brasil

Cometer crimes virtuais no Brasil não é uma tarefa muito difícil, segundo alerta divulgado pela empresa AVG. Durante o lançamento da nova versão do software, em Nova York, a empresa apresentou algumas tendências para 2013 e colocou o Brasil em alerta.

Para Pavel Krcma, responsável pelo laboratório de pesquisas da companhia, os malwares que roubam dados bancários continuarão fortes no próximo ano no mercado nacional. Apesar de o golpe ser bastante comum e estar sendo empregado há anos, inclusive com as mesmas técnicas, os brasileiros não aprenderam com seus erros e ainda são bastante negligentes.

4set/12

Surge o primeiro trojan brasileiro com certificado digital

A Kaspersky, empresa de software de segurança, divulgou a descoberta de um trojan bancário único. Segundo Fábio Assolini, especialista da Kaspersky que divulgou o trojan, esse é o primeiro vírus bancário assinado digitalmente e criado por criminosos brasileiros. A técnica é usada bastante lá fora mas essa é a primeira vez que é vista dentro das fronteiras brasileiras e atacando especificamente bancos do país.

Como o nome já sugere, um trojan bancário é um tipo de vírus criado especificamente para se passar por uma ferramenta de banco, sendo distribuído através de emails falsos para, assim, capturar dados do usuário. Um certificado digital nesse tipo de trojan passa uma confiança maior e por isso há uma grande chance do usuário cair no golpe.